01 junho 2010

Explosão

A saudade que sufoca
O seu nome que me grita...
Quando nada mais importa
É quando tudo mais irrita!

A companhia que nunca tenho
A iminencia de sempre tê-la
Um que fala quando venho
Outro diz querer-me inteira.

Na verdade, nada quero
O tudo pra mim não basta!
Quando é pouco, não presta: nego!
Quando é muito, é pouco: afasta!

Sou amor, carente, infinito...
Querendo doar-te, inteiro, enfim.
Querendo ser forte, somente minto
Escondendo o amor, por você, em mim.

Um comentário:

glória disse...

esse amor carente é de tanto que sente. bjs, saudades daqui!