29 novembro 2010

Definitivo (releitura)

O que eu não aguardava, aconteceu
Uma nova chance foi concedida
Estou alegre e estou contente
Profissionalmente, fui reconhecida.

Foi uma alegria poder ter sido chamada
Mas lamento por ter que partir.
Aqui recuperei minha alegria
Das dores sofridas por aí.

O repentino amanhã, chegou
A convivência diária, terminou
Restara-me, novamente
A saudade de quem ficou.

A ausência, do todo, faz parte
A tristeza, hoje, não fez alarde
Ainda assim, suspiro, saudosa
Sabedora que os encontrarei, mais tarde.

Eu vou, mas vou sorrindo
Afrontando o desafio, que vem vindo
Entre ordens, palavras e papéis
Polindo os ares, as idéias... evoluindo.

Peço apenas que nunca, jamais
Vocês, meus amigos especiais
Pensem que o que digo, é adeus
Tudo isso foi só pra dizer: até mais.

5 comentários:

Ígor Andrade disse...

Outra vez?

.SL. disse...

Mas não é pra longe dessa vez, meu amigo...

Lualinda disse...

Vá sorrindo, volte sorrisos.

Beijo.

Doroni Hilgenberg disse...

É preciso dar chances para as oportunidades que aparecem, mesmo que a saudades doa e o sorriso seja triste. bjs

glória disse...

Olá Sílvia,

Passei um tempão sem sentar por aqui, quando chego você fala em partir? Bons ventos nessa nova empreitada. Bjs