21 dezembro 2009

Apagando...

A estrela desse céu, cansou de brilhar...
a que iluminava, a mais ardente...
Teima em cair, cadente
Sem desejo, sem pedido
como se nunca chance tivesse tido
do sonho viver para nunca acordar.

4 comentários:

Hod disse...

Gostoso ler esse seu sentir.
Que novas estrelas brilhem nesse céu para que ao levantar a cabeça as veja na escuridão . Elas...essas estrelas deverão rasgar os véus da noite...

Forte Abraço,

Hod.

Eduardo Matzembacher Frizzo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo Matzembacher Frizzo disse...

Acordar é dormir ao avesso. E todos os entardeceres não são nada diante do zênite da existência. O que existe somos nós, o mundo e os outros. Mas para além disso tudo, para além do saber-poder da tecnocracia burra que governa nosso cotidiano fútil, existe o saber-sonho, o saber que se sabe cadente em cada estrela que nasce e apaga com um simples abrir e fechar de olhos. O pedido que podemos fazer é aquele que está além de Sísifo e Narciso. O pedido que podemos fazer é aquele que Chronos esfarela em cada remela de noite bem dormida. Essa é a razão do fantástico, da música, da lira e das musas que adornam suas palavras. E sim, voltei. Um beijo. P.S.: dê uma olhada no último texto do INSUFILME.

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^